Reconhecer e recompensar funcionários motiva e gera vendas

Reconhecer e recompensar funcionários motiva e gera vendas

Pagar o salário de seus funcionários é um dever e uma obrigação de qualquer empregador, mas será que é suficiente para alcançar metas e aumentar as vendas?  Provavelmente não. Se você paga somente o necessário, seus empregados também só farão o necessário. É preciso ser criativo para pedir mais e, é claro, recompensar o esforço alcançado.

Portanto, em primeiro lugar, é importante definir as metas que deverão ser atingidas, sejam elas relacionadas a vendas, quantidade de clientes satisfeitos, lucratividade, despesas ou qualquer outro indicador importante. Uma vez definidas estas metas, o segundo passo é definir o prazo para que sejam cumpridas, comunicá-las claramente a todos e afixá-las em um local visível e de fácil acesso, podendo estar em um quadro ao lado do escritório da gerência, por exemplo.

Porém, não basta somente definir objetivos. É igualmente importante medir os resultados diariamente e publicá-los para que os funcionários possam avaliar o desempenho da empresa e possam saber se as metas estão sendo atingidas ou não.

Além disso, é preciso definir alguma espécie de premiação ou recompensa pelo fato da empresa atingir seus resultados. Desta forma, o esforço despendido pelos empregados será muito maior do que se não houvesse nenhum tipo de remuneração extra. Os tipos de recompensa podem ser diversos, tais como:

  • Cestas básicas
  • Um percentual do salário a ser pago todo mês, a cada trimestre ou anualmente
  • Produtos eletrônicos (TVs, vídeos etc.)
  • Viagens para lugares turísticos

É importante não só entregar o prêmio aos funcionários; o ideal é também reconhecer pessoalmente aqueles que atingiram suas metas, seja com um aperto de mãos, uma salva de palmas, uma placa comemorativa ou um jantar em um restaurante fino com o presidente da empresa, por exemplo. Porque, desta forma, não será feito somente o reconhecimento monetário, mas também o pessoal, demonstrando que o funcionário é valorizado pela empresa.

Exemplo prático

Como exemplo, vamos analisar um restaurante. Primeiramente, devemos pensar em quais metas que poderiam ser exigidas. Uma das mais importantes, para um provedor de serviços, refere-se à qualidade do atendimento e à satisfação dos clientes. Digamos, então, que este seja o objetivo a ser alcançado.

Após a definição da meta, o segundo passo seria definir qual o nível aceitável e desejável que deverá ser alcançado. Para isso, o restaurante poderia definir um percentual de satisfação de seus clientes, algo como: 99% de satisfação (respostas ótimo e bom feitas num questionário).

Em terceiro lugar, seria essencial definir uma forma de medir o desempenho do atendimento, o que poderia ser feito de diversas maneiras: pesquisa de opinião em papel, por telefone ou por internet, por exemplo.

Depois de definido o método de medição, os resultados deverão ser compilados diariamente e divulgados para que todos os funcionários saibam do desempenho da loja e também da sua própria seção (cozinha, atendimento, espera, pagamento etc.). Estas informações deverão também ser comparadas com a meta estabelecida para que se possa medir a evolução do indicador, podendo-se realizar reuniões com os funcionários para comentar os resultados e avaliar o quão perto ou longe se está dos resultados esperados. Caso o desempenho esteja ruim, por exemplo, um plano de ação poderá ser traçado a fim de reverter a situação.

Ao final do mês, trimestre, semestre ou qualquer que seja o período de medição escolhido para o cumprimento das metas, será necessário fazer uma avaliação dos resultados e, é claro, os funcionários deverão ser premiados e reconhecidos.

Em resumo, não existe resultado sem metas, sem acompanhamento de indicadores e muito menos sem reconhecimento de quem atingiu os objetivos. Essa é a melhor forma de atingir resultados mais expressivos e conseguir se destacar no mercado.

 Sobre o Autor

Antonio Pedro Alves é formado em administração pela FGV, com MBA em Marketing pela FIA-USP, além de diversas especializações, inclusive na HEC, na França. Atuou em diversas multinacionais, na venda direta, na indústria e no varejo, entre elas o Grupo Pão de Açúcar, Wal-Mart, Reckitt Benckiser e Avon. É executivo de marketing, palestrante e consultor.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 1 =