Couvert é agenda oculta em restaurantes

Couvert é agenda oculta em restaurantes

Toda vez que você entra em um restaurante é a mesma coisa. O garçom acomoda os clientes, traz o cardápio, pergunta pelas bebidas e logo traz o couvert sem a menor cerimônia. O problema não está em trazê-lo, mas em perguntar primeiro se o cliente o quer ou não.

Esta estratégia é muito comum e são raros os lugares em que se pergunta: “os senhores aceitam o couvert?”. O que os restaurantes aprenderam é que a maioria dos clientes não questiona a sua colocação na mesa. Aliás, grande parte deles o usa como uma forma de matar a fome antes da comida chegar ou apenas como uma distração ou uma forma de complemento social da conversa com seu interlocutor.

Porém, esta estratégia do “me engana que eu gosto” não é a mais adequada para ganhar a confiança de seus clientes. Não é inteligente achar que eles não se importam por não terem sido consultados antes do couvert ser colocado na cara deles. Um fato que comprova isso é que a grande maioria das pessoas não reclama de um serviço mal prestado. Elas simplesmente deixam de comprar e de freqüentar o estabelecimento e você nem vai saber por quê.

Outro erro comum é não colocar o preço do couvert e o que ele contém no cardápio. Isso costuma irritar os clientes principalmente quando ele é muito simples, mas o preço é salgado. E o pior de tudo isso é apenas descobrir o quanto se gastou quando chega a conta. A impressão do restaurante acaba sendo bastante prejudicada por um detalhe que pode ser facilmente corrigido.

Agenda Oculta

O couvert não pode de maneira alguma ser usado como uma espécie de agenda oculta, algo secreto, que não se sabe o que é e nem quanto custa, somente para aumentar o ticket médio da refeição. Provavelmente muitas pessoas até gostariam de consumi-lo, mas elas se sentiriam muito mais consideradas e respeitadas se fossem consultadas previamente.

No entanto, você poderia argumentar: “se agora eu começar a perguntar toda a vez se o cliente quer couvert, ninguém mais vai aceitar!”. Eu contra-argumentaria dizendo primeiro que a relação com seus clientes deve ser de longo prazo e não pautada em uma única refeição. Se ele por algum motivo não confiar em você, diga adeus a novas visitas e também a indicações que eles poderiam fazer para outras pessoas. Em segundo lugar, o garçom pode e deve ser treinado para não simplesmente oferecer o couvert, mas a mostrá-lo como algo atraente e interessante. Este poderia ser um exemplo de abordagem: “os senhores aceitam o nosso couvert? Ele vem com deliciosos pãezinhos quentes, variados e caseiros, além de manteiga, pães-de-queijo, azeitonas verdes e patês variados. Tenho certeza que será uma ótima forma de abrir o apetite!”. Nada muito longo ou complicado para não chatear o cliente, mas eficiente.

Resumindo, sempre coloque o preço do couvert no cardápio e o que ele contém. Nunca o coloque na mesa sem antes perguntar a seus clientes se eles o aceitam. Finalmente, também é cordial, e ajuda a fortalecer a confiança, se você de tempos em tempos oferecer o couvert como cortesia da casa.

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 4 =